Sabes quem é Circe, Eros e Thánatos? =)

Caro leitor saborei, enrrole-se, devore cada plavra e cada video



Que arte viva no seu corpo

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013


O sono vem a depressão acorda e a verdade é novamente visível.
A decadência que se prolonga desde do fim dos sonhos de grandeza não pode ser mais ignorada, perdi a minha identidade perdi o meu prepósito e não resta mais nada do que cicatrizes curadas e trocadas por atenção. Longe vão os tempos onde sonhava com os meus deuses com a minha luta interna entre o odio pela minha realidade e por mim mesmo…
Esses tempos passaram e resto eu, o despojo da guerra perdida sem vencedor. Tornei-me num mestre da fuga, diria eu viciado nela. Fujo para viver, fujo de mim da minha realidade e da mudança! Num mundo onde nada é reconhecível apenas posso preservar a minha tristeza e solidão.
 A depressão acorda e com ela mostra o ser que procura escapar a tudo e que se vê enclausurado na prisão de si próprio. Demasiado medroso para se aventurar e conhecer imagina e foge. Estoicista nas minhas ações, vejo-me confrontado com o berrante desejo duma palavra amiga e de alguém que se preocupe com o que eu digo e penso.
Sou um fardo a todos que me conhecem e meu futuro é incerto e continuo a contemplar a morte como o descanso aguardado.
O sono vem a depressão acorda e a verdade é novamente visível.
A verdade que cada linha escrita de amargura é um descanso no meu coração que imagina histórias que nunca acontecerão de momentos perdidos e de oportunidades desperdiçadas devido a este medo inato.
                Mas como posso eu ganhar coragem quando não existe nada que pretenda? Vejo o mundo com olhos de indiferença e escarnio olhando todas as maravilhas com desconfiança e um sentimento de indiferença. Procuro algo que goste que chame a minha atenção algo tão forte que seja um motivo de viver.
                Não me peças para agir meu confidente! Age tu por mim! faz o meu mundo mexer traz algo de novo a minha vida pois perdi a energia, perdi a vontade e continuo numa decadência absoluta num estado de dormência cognitiva e sensitiva.
                O sono vem a depressão acorda e fecho os olhos esperando que o mundo não se mexa que paralise a espera da minha energia perdida.  

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O presente do Passado

O presente é apenas uma linha continua aborrecida e coerente feita de rotinas entediantes, e apenas nos lembraremos dele com nostalgia e saudades dessa época de ouro.
Querer viver no passado é querer viver com a certeza que esse tempo será memorável. Porque a melhor parte da vida acontecendo passado mas apenas quando nos lembramos dele

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Talento e cores

Talento é uma palavra que para mim só traz dor e inveja…. OS deuses abençoam alguns com o espirito e a força de lutar, outros com o dom das artes ou com uma beleza rival de Afrodite. Onde estes semideuses desfilam e o mundo se curva perante as suas exaltações, eu permaneço , sem força e sem jazigo para descansar.
 Tudo que tenho é o dom de sentir, de desaparecer do mundo e encontrar-me comigo próprio no jardim de éden, sentir mil coisas de mil e uma maneiras diferentes. Apenas com a esperança de acordar de um sono, e com a esperança permaneço num mundo isolado onde castelos e abismos permanecem lado a lado como memória de um tempo diferente.
 O azul da esperança governa a minha vida mas sem a força do verde da vontade o meu azul permanece calmo e sereno junto ao rio sem nunca lhe tocar.
 Minha mãe é este verde e o rio se curva-se perante ela, é uma força da natureza preparada para lutar mesmo que a maré se volte contra ela. Enquanto eu penso no culminar ela constrói a estrada para eu viver afastando o doce encanto da gondola do barqueiro.
  Antes contava com outros para me ligar ao vosso mundo, hoje vagueio… observando, apenas com o verde de minha mãe como escudo mas sinto nela o amarelo do medo por me ver tao encerrado no azul e no meu talento.
 Tomara eu ser talentoso como esses semideuses ser conhecedor de números e de letras e banhar me nas aguas do sucesso! Mas apenas posso ter esperança que quando avance o muro não seja demasiado alto.
 Anseio pelo rosa, mas este nada me traz se não dor e deceção, onde antes cantei odes carregadas de elogios hoje carrego lamúrias. Pois não existe alguém que compreenda o que é desejar e abandonar por medo.

domingo, 29 de abril de 2012

A verdade sobre ser quem sou...

Porquê estou eu na situação em que estou hoje? Porquê não sou um ser ao alcance do nirvana e fora do espectro de luz? Ou porquê Eros me deserdou?
 As perguntas foram lançadas mas uma resposta não havia!
Como posso eu, ser breve e mortal, justificar apenas uma situação específicas se há tantas outras possíveis?
 Os sonhos de grandeza abandonaram-me. Já mais serei o redentor ou o apocalipse deste mundo, já mais terei a força de sair do conforto da minha solidão. Mas o porquê de ser assim; eu precisava de saber… Justificar o meu desejo pela destruição e solidão e por toda a escuridão do universo, afinal algo tinha de ser responsável.
 Mas existe mais de infinitas formas de ser um Ser, o que faz-me diferente de ti meu obnóxio leitor?
 Talvez apenas a necessidade de explicar o porque de ser assim….
Foi então que o conhecimento se manifestou e a justificação foi evidente! A pergunta fora mal colocada. Não me interessa saber o porquê de estar aqui, mas o porquê de estar aqui e não em outro local.
 Se estivesse mais perto da luz tais perguntas nunca me teriam ocorrido, se a escuridão e tivesse absorvido por completo, a terra não falaria por mim…
 Eu pergunto me o porquê de ser o que sou hoje porque se não fosse as tragedias da minha vida nunca teria perguntado isso.
Se planeias intender o conhecimento envolvido na minha libertinagem deixo te apenas um pensamento:
 Apenas és o ser que és porque não podias existir de outa forma nem em outro local aceita a tua tragedia pois ela é apenas e a única coisa que prova que nunca serás ninguém para alem de ti próprio.